The Jesuit college of São Tiago de Elvas: construction, materials and actors

Authors

  • Inês Gato de Pinho CiTUA - Center for Innovation in Territory, Urbanism, and Architecture, Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa, Av. Rovisco Pais, 1, 1049-001 Lisboa, Portugal https://orcid.org/0000-0003-1847-4602
  • Maria João Pereira Coutinho IHA/NOVA FCSH - Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa, Campus de Campolide, 1099-085 Lisboa, Portugal https://orcid.org/0000-0001-9323-3345

DOI:

https://doi.org/10.14568/cp2020086

Keywords:

Society of Jesus, Early Modern Period, Project, Construction, Materials

Abstract

The present study aims to understand the architectural history of the Jesuit College in Elvas, as well as the materials used there, and the masters who worked in its construction. It seeks, therefore, to improve our knowledge in the history of building, thus bridging the existing gap about the materials and construction systems carried out in this type of buildings in Portugal. The detailed reading of the produced documentation during the works carried in the church and college, between the end of the 17th century and the first half of the 18th century, is crucial for future works of rehabilitation in this building, as well as in others of a similar typology, either built by the Jesuits, or constructed by others in this region. This study also contributes to improve the present knowledge of the stones used, and quarries of origin, as well as who used and worked in these quarries. Furthermore, it will identify the woods used for construction, and identify the lime ovens which are fundamental to understanding all the construction process.

Downloads

Download data is not yet available.

References

[1] Carvalho, A. T., A Companhia de Jesus em Elvas: Notas para a história do Collegio de S. Thiago, Tipografia Popular, Elvas (1931).

[2] Rodrigues, F., História da Companhia de Jesus na Assistência de Portugal, Tomo 3, Vol. 1, Livraria Apostolado da Imprensa, Porto (1944).

[3] Bivar Guerra, L., Documentos para a História da Arte em Portugal, Vol. 12, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (1972).

[4] Lobo, R., ‘O colégio jesuíta de Santiago, em Elvas’, Monumentos 28 (2008) 120-127.

[5] Almeida, M.; Nunes, P.; Carvalho, A., ‘A adaptação do Colégio de Santiago a Biblioteca Municipal de Elvas’, Monumentos 28 (2008) 190-193.

[6] Vallery-Radot, J., Le recueil de plans d ́édifices de la Compagnie de Jésus conservé a la Bibliothèque Nationale de Paris, Institutum Historicum S.I., Roma (1960).

[7] Gato de Pinho, I., ‘De Ratione Aedificiorum e a Implementação do Sistema Jesuíta de Licenciamento de Edifícios (Séc. XVI – XVIII): O Caso do Colégio de Santarém’, in Livro de actas – 2º Congresso Internacional de História da Construção Luso-Brasileira, coords. R. Póvoas e J. M. Mateus, FAUP, Porto (2016) 627-639.

[8] Archivum Romanum Societatis Iesu, F.G. 1408, nº 9.

[9] Arquivo Municipal de Elvas, Colégio Jesuíta de Elvas, Ms.78.

[10] Archivum Romanum Societatis Iesu, Lus. 46, fl. 18vº.

[11] Franco, A., Ano Santo da Companhia de Jesus em Portugal, Apostolado da Imprensa Editora, Porto (1930).

[12] “Planta infrior e suprior do colejo que foi dos Jazuitas na cidade de Porto-Alegre (...) em que se declara o estado em que se acha; e os lugares mais comodos para o estabelecimento de hua nova Fabrica de Panos, e Drogas”, Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Real Fábrica das Sedas, mç. 1, doc. 8, https://digitarq.arquivos.pt/viewer?id=4382467 (acesso em 2020-06-15).

[13] Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Cartório dos Jesuítas, mç. 101.

[14] Arquivo Histórico do Tribunal de Contas, Junta da Inconfidência, nº 210.

[15] Archivum Romanum Societatis Iesu, Lus. 75, fl. 291 a 291vº.

[16] Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Memórias paroquiais, Vol. 13, nº (E) 14a, fl.115, https://digitarq.arquivos.pt/ViewerForm.aspx?id=4239909 (acesso em 2020-06-15).

[17] Informação sem referência arquivística constante no Centro de Documentação do Portal PHIM: https://www.marmore-cechap.pt/data/3164/manuel%2520martins%2520banha (acesso em 2020-06-15).

[18] Monteiro, P., ‘Famílias de pedreiros na ‘região dos mármores’: os Cordeiro’, coords. V. Serrão, C. M. Soares e A. Carneiro, in Mármore, 2000 Anos de História, Vol. I - Da Antiguidade à Idade Moderna, Theya, Lisboa (2019) 197-236.

[19] Monteiro, P., A Pintura Mural no Norte Alentejo (Séculos XVI a XVIII). Núcleos Temáticos da Serra de S. Mamede, Dissertação de doutoramento, Vol. II, Departamento de História, Universidade de Lisboa, Lisboa (2013), https://repositorio.ul.pt/handle/10451/8454 (acesso em 2020-06-15).

[20] Cabeças, M., A transfiguração barroca de um espaço arquitectónico, A obra setecentista na Sé de Elvas, Dissertação de mestrado em Arte, Património e Teoria do Restauro, Universidade de Lisboa, Lisboa (2011), https://repositorio.ul.pt/handle/10451/6789 (acesso em 2020-06-15).

[21] Arquivo Histórico do Tribunal de Contas, Junta da Inconfidência, nº 206, fl. 138 vº.

[22] Arquivo Histórico do Tribunal de Contas, Junta da Inconfidência, nº 208, fl. 52.

[23] Filipe, C., O Património edificado em Vila Viçosa no século XVIII: Encomenda, Financiamento e Construção, Dissertação de mestrado ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa (2015), https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/10401 (acesso em 2020-06-15).

[24] Filipe, C., ‘Mestres canteiros do séc. XVIII: José Francisco de Abreu e seus companheiros’, Callipole, Revista de Cultura 24 (2017) 151-172.

[25] Filipe, C., ‘Os mármores do Alentejo no século XVIII, entre a procura e a oferta’, in Mármore, 2000 Anos de história, Vol. I - Da Antiguidade à Idade Moderna, coords. V. Serrão, C. M. Soares, A. Carneiro, Theya, Lisboa (2019) 237-293.

[26] Arquivo Distrital de Portalegre, Cartório Notarial de Elvas, Cx. 187, Lv. 27, fls. 158v.-159v., CNELV07/001/Cx. 187, publ. por Monteiro, P., A Pintura Mural no Norte Alentejo (Séculos XVI a XVIII). Núcleos Temáticos da Serra de S. Mamede, Dissertação de doutoramento, Vol. II Departamento de História, Universidade de Lisboa, Lisboa (2013), https://repositorio.ul.pt/handle/10451/8454 (acesso em 2020-06-15).

[27] ´Elvas - Casa do governador do forte de Santa Luzia´, Revista Popular 33 (1849) 259.

[28] Telles, B., Chronica da Companhia de IESV da Provincia de Portvgal, Segunda Parte, Por Paulo Craesbeeck, Lisboa (1647).

[29] Arquivo Histórico do Tribunal de Contas, Junta da Inconfidência, n.º 200, fls. 92 a 93v.

Published

2022-02-25

How to Cite

Gato de Pinho, I., & Pereira Coutinho, M. J. (2022). The Jesuit college of São Tiago de Elvas: construction, materials and actors. Conservar Património. https://doi.org/10.14568/cp2020086

Issue

Section

In press